segunda-feira, 14 de fevereiro de 2022

Corpo ainda não foi liberado do IML de Tauá por falta de documentos

 

Faleceu na tarde deste domingo (13), na vila Baixio, zona rural de Quiterianópolis, Antônio Carlos Barroso Neto, 48 anos, conhecido como Pinica, residente naquela comunidade. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Tauá e aguarda liberação.

Conforme familiares, Antônio Carlos consumia muita bebida alcoólica e, após beber bastante no sábado (12), teria ido dormir na casa de um tio, lá mesmo no Baixio. Por volta do meio dia, o rapaz continuava dormindo e os familiares resolveram leva-lo para a residência de sua mãe, sobre um colchão.

Ainda conforme a família, após ser levado para a casa de sua genitora, Antônio Carlos continuou dormindo e que apresentava sinais de que estaria respirando normalmente. Porém, por voltas das 16h40, o homem veio a falecer.

Falta de documentos impede liberação do corpo

Por volta das 21h deste domingo (13) o rabecão da Perícia Forense do IML de Tauá veio buscar o corpo para realização da necropsia. Antônio Carlos não possui Registro de Nascimento ou outro documento oficial de identificação e por conta desse problema o corpo ainda não foi liberado.

Conforme familiares, a previsão é que uma equipe do IML venha nesta terça-feira (15) colher amostra de material genético da mãe do falecido para exame de DNA e só após o resultado do procedimento é que o corpo será liberado para a família sepulta-lo.

A Prefeitura de Quiterianópolis, através de seu procurador, o advogado João Rômulo, informou que está acompanhado o caso e adotando todas as providências necessárias para que o corpo de Antônio Carlos seja liberado o mais breve possível.

Repórter Cícero Lacerda

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botões de Compartilhamento