quarta-feira, 1 de setembro de 2021

Réu é condenado a mais de 23 anos de prisão em sessão do Júri de Tauá

 

O Tribunal do Júri da Comarca de Tauá realizou nesta quarta-feira (01), o julgamento do réu Antônio Claudio Almeida de Sousa Júnior, conhecido como Júnior Parada. Ele era acusado de seis tentativas de homicídios, fatos ocorridos no dia 20 de novembro de 2017, em duas ações, no bairro Colibris e na Prainha. 

No final o réu foi condenado por 04 crimes, havendo a desclassificação de crime de lesão. O réu foi condenado a 23 anos e 8 meses de reclusão e 5 meses de detenção. Junior Parada já se encontra preso. 

O Júri foi presidido pelo Juiz Tadeu Trindade, atuando na acusação a representante do Ministério Público, Karina Mota e na defesa do réu, o defensor público,  Eduardo Carvalho.

 Novo Júri

Nessa sexta-feira (03), acontecerá mais um júri, sendo o réu José de Anchieta Wanderson Bezerra, conhecido como Dedé. De acordo com o inquérito policial, no dia 21 de agosto de 2020, ele ceifou a vida de Francisco Antônio dos Santos, conhecido como Velho. Na oportunidade, Dedé iniciou uma discussão e agressões contra sua companheira Vanusa Pereira Cavalcante, quando Velho resolveu intervir e foi lesionado com vários golpes de faca. 

É imputado ao réu em relação a primeira vítima, Velho, crime previsto no artigo 129, § 09º c/c com o artigo 07º da lei 11.340 e em relação a segunda vítima, Vanusa, crime previsto no artigo 121. 

A sessão ocorre de forma semipresencial, estando presentes apenas o Magistrado, a Promotora, a Defesa, os Jurados e os servidores que estiverem trabalhando na Sessão. 

Réu e testemunhas serão ouvidos por videoconferência.

Não será permitida a permanência de pessoas na plateia, com exceção de dois familiares da vítima e dois do réu, caso queiram se fazer presentes. 

Repórteres Edy Fernandes e Flaviano Oliveira 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botões de Compartilhamento