terça-feira, 7 de setembro de 2021

PC prende em Icó, mãe que produzia pornografia com as próprias filhas


Uma ação rápida, desenvolvida pela Polícia Civil do Ceará, nessa segunda-feira (06), resultou na prisão de uma mulher por produção de conteúdo pornográfico das próprias filhas, duas crianças de quatro e 11 anos de idade. A prisão ocorreu após um vídeo íntimo de uma das crianças viralizar em grupos de um aplicativo de mensagens instantâneas. O crime e a prisão ocorreram em Icó no Ceará.

A mulher, de 32 anos, que não terá o nome revelado para proteger a identidade das vítimas, foi presa por força de um mandado de prisão preventiva solicitado pela PC-CE, que tomou conhecimento do caso no último sábado (04). Imediatamente, os policiais realizaram as diligências que descobriram a identificação e o endereço da mulher. Na residência, os policiais identificaram as crianças, bem como localizaram o vestido da garota de quatro anos usava na gravação do vídeo.

A PC-CE descobriu que o material pornográfico produzido pela mulher era enviado para seu companheiro e pai do irmão mais novo das vítimas. O homem, que é cearense, mas atualmente mora em São Paulo, era quem compartilhava as imagens na Internet. A PC-CE identificou ainda que a mulher pretendia viajar para São Paulo, com a criança de 11 anos, para que ela fosse vítima de um estupro, que seria cometido pelo suspeito.

Diante do fato, a PC-CE realizou a prisão da suspeita e realiza diligências em São Paulo para capturar o homem. A mulher responderá pelo crime previsto no artigo 240 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que versa sobre produzir, reproduzir, dirigir, fotografar, filmar ou registrar, por qualquer meio, cena de sexo explícito ou pornográfica infantojuvenil. Com pena prevista de reclusão de quatro a oito anos, e multa. No caso em questão, a pena é aumentada em 1/3 pelo fato da suspeita ser mãe das vítimas.

Já o homem deverá responder pelo crime contido no artigo 241 do ECA por fornecer, divulgar ou publicar, por qualquer meio de comunicação, fotografias ou imagens com pornografia infantojuvenil. O crime tem pena de reclusão de dois a seis anos e multa.

As crianças foram colocadas aos cuidados da avó materna e são acompanhadas pelo Conselho Tutelar da cidade. 

Fonte: PC do Ceará

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botões de Compartilhamento