terça-feira, 3 de agosto de 2021

Morador de Tauá foi o primeiro paciente a realizar uma videoartroscopia no Hospital de Quixeramobim

 

Nos últimos cinco anos, a dor crônica no joelho impediu Antônio Evilânio Alexandre Araújo, de 39 anos, de se dedicar ao trabalho. Diagnosticado com uma lesão no ligamento cruzado anterior e no menisco, o agricultor passou por uma cirurgia de artroscopia, no último dia 26 de julho. Foi a primeira videoartroscopia para reconstrução ligamentar de joelho realizada no Hospital Regional do Sertão Central (HRSC), unidade da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) gerida pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH).

A cirurgia artroscópica utiliza um equipamento que tem um tubo fino com uma fonte de luz e uma câmera na ponta, o artroscópio. “É uma cirurgia que traz o benefício de ser minimamente invasiva e com poucos cortes, podendo trazer a estabilidade da articulação e melhorar o quadro de dor dos pacientes”, explica o médico ortopedista do HRSC Prisciliano Soares, responsável por conduzir a cirurgia.

O HRSC passa a integrar a rede de hospitais públicos que realizam este procedimento de alta complexidade. “Existe uma fila de pacientes hoje no SUS [Sistema Único de Saúde] aguardando esse tipo de procedimento. Ficamos felizes em poder trazer esse tipo de cirurgia para o interior do Estado. Vamos poder dar uma vazão nessa fila e atender os pacientes do Interior, que são menos assistidos em relação a esse tipo de procedimento”, comemora o ortopedista.

Para o agricultor Antônio Evilânio, morador de Tauá, distante 181 km de Quixeramobim, a cirurgia representa um novo momento. “Há cinco anos que eu venho com essa lesão e agora, com a benção de Deus, tudo deu certo. Eu me operei e estou bem. Agora é só repousar para melhorar mais. Tudo que eu quero é voltar para a minha roça, para a minha luta diária”, afirma.
Atendimento

O atendimento para as cirurgias artroscópicas é realizado via Central de Regulação do Estado. Primeiro, os pacientes são encaminhados para o Ambulatório de Ortopedia do HRSC. Depois, são avaliados por médicos especialistas e direcionados para realização de exames na própria unidade hospitalar.

Segundo o coordenador médico da Clínica Traumato-Ortopédica (CTO) do hospital, Pedro Braga, a cirurgia artroscópica necessita de um processo logístico bem complexo, que demanda esforço de muitos setores da unidade. “Para a marcação deste tipo de procedimento, o planejamento estratégico demanda atenção especial de todos os envolvidos. O apoio incondicional da direção fomentou a realização deste sonho”.

Ainda segundo o coordenador médico, o HRSC pretende ampliar o rol de procedimentos na CTO para outras subespecialidades ainda em 2021.

Fonte: Governo do Ceará 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botões de Compartilhamento