quarta-feira, 26 de maio de 2021

Pefoce terá ponto de coleta de DNA em campanha para auxiliar famílias de desaparecidos

 

A Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) vai realizar a coleta de DNA de famílias que estejam com parentes desaparecidos, em prol da campanha nacional “Desaparecidos: política nacional de buscas de pessoas desaparecidas”. O objetivo é colaborar para a localização e a identificação dessas pessoas. A campanha, lançada nacionalmente nessa terça-feira (25), Dia Internacional das Crianças Desaparecidas, foi elaborada pela Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos (RIBPG), com o apoio do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), por meio da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).

No Ceará, a ação ocorre com a parceria entre a Pefoce, a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por meio da 12ª Delegacia do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que é a Delegacia de Desaparecidos, e a Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública do Ceará (Supesp).

A Pefoce, por meio do Núcleo de Perícias em DNA Forense (NUPDF), atuará como um ponto de coleta de material genético que será inserido no banco de dados nacional para auxiliar na identificação e na localização dessas pessoas que são procuradas. Como a campanha é nacional, é possível fazer a busca em todos os Estados do país e no Distrito Federal, o que aumenta as chances de localização dos desaparecidos.

“A atuação do NUPDF será de extrema importância, pois através da tecnologia do DNA, será possível a identificação de pessoas em todo o território nacional. Devido à integração do banco de dados genéticos da RIBPG, e à atuação em conjunto entre as forças de segurança, teremos bons frutos que levarão à identificação de adultos e crianças desaparecidas”, conta o perito geral da Pefoce, Julio Torres.

O primeiro passo para iniciar a busca por um parente é se dirigir até a 12ª Delegacia do DHPP e registrar o Boletim de Ocorrência (BO) imediatamente. Para as famílias que moram no interior do Estado, o BO pode ser feito em qualquer delegacia da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) ou por meio da Delegacia Eletrônica (Deletron), no https://www.delegaciaeletronica.ce.gov.br/beo/.

A 12ª Delegacia do DHPP registra os casos de pessoas desaparecidas em Fortaleza e atualiza dois perfis oficiais mantidos nas redes sociais Facebook e Instagram. Por lá, os policiais civis da delegacia atualizam periodicamente os casos investigados pela unidade, com foto e informações sobre a última vez em que a vítima foi vista por parentes e amigos. Diariamente, os perfis recebem mensagens com informações sobre o paradeiro dessas pessoas. As imagens com as fotos dos desaparecidos também costumam circular em diversas outras plataformas on-line, contribuindo para disseminar a informação e a imagem do desaparecido.

As famílias podem buscar informações no telefone (85) 3257-4807 ou no (85) 99111-7498, o WhatsApp do DHPP, por onde podem ser enviadas fotos, áudios e vídeos e informações sobre os desaparecidos.

Coleta de DNA

Após registrar a ocorrência, dois membros da família, sendo estes parentes de 1º grau, como pai e mãe, filhos ou irmãos, deverão ir até a Pefoce para fazer a coleta do material genético. É importante que a família leve também itens de uso pessoal da pessoa que está desaparecida, como por exemplo: escova de dente, aparelho ortodôntico, cordão umbilical ou dente de leite, caso os familiares tenham. Com o BO em mãos e itens de uso pessoal/material genético da pessoa desaparecida, os familiares vão até a Pefoce em Fortaleza, ou nos núcleos de Iguatu, Juazeiro, Russas ou Sobral, para realizar a coleta do DNA.

Início das coletas

O período para a coleta do DNA, ou seja, o prazo em que as famílias com pessoas desaparecidas devem se dirigir até a Pefoce é entre os dias 14 a 18 de junho. A coleta do DNA é voluntária, indolor e precedida de assinatura de um Termo de Consentimento. Lembrando que os familiares devem sempre estar com o Boletim de Ocorrência em mãos.

Em Fortaleza, o atendimento ocorrerá por meio de agendamento no Núcleo de Perícias em DNA Forense da Pefoce, pelo número (85) 3101.5054. Nos núcleos da Pefoce no interior, também com o BO, os parentes podem comparecer diretamente às unidades da Pefoce. No link abaixo, você confere o endereço de cada núcleo.

Estatística

A Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS/CE) também vai atuar fornecendo dados e estatísticas sobre pessoas desaparecidas no Ceará e no Brasil. Esses números vão fomentar estratégias para melhorar o resultado das investigações e das perícias destes casos.
Força tarefa

Além da atuação do DNA Forense, a Pefoce montou uma comitiva interna envolvendo a Coordenadoria de Medicina Legal (Comel), através da Antropologia Forense e Odontologia Forense, e a Coordenadoria de Identificação Humana e Perícias Biométricas (CIHPB), que vai colaborar com a identificação papiloscópica (impressões digitais). Com a força tarefa e a atuação integrada disponibilizando todos os métodos técnico-científicos de identificação, o órgão pretende colaborar de forma consistente para a identificação de pessoas no Ceará.

Com informação do Governo do Estado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botões de Compartilhamento