domingo, 22 de novembro de 2015

PALAVRAS PRA VARRER DO SEU VOCABULÁRIO


Comunicar-se bem é um suporte de vida. Vivemos na era em que emojis e emoticons se multiplicam mais rapidamente do que coelhos, e em que milhões de pessoas se esforçam para apresentar os seus pontos de vista em até 140 caracteres.
As pessoas não têm tempo para ler ou não conseguem prestar atenção em mais palavras do que o necessário.
Se você quer que seus leitores e ouvintes realmente o entendam, compreendam sua mensagem e, talvez, ainda se divirtam um pouco, aqui vai uma lista de palavras para eliminar e para ajudá-lo a escrever de forma mais objetiva. 
1. Que
É supérfluo a maior parte do tempo. Abra qualquer documento que você tem elaborado no ambiente de trabalho e encontre uma frase com “que”. Leia em voz alta. Releia novamente sem o “que”. Se faz sentido sem ele, tire-o. E não use quando você estiver se referindo a pessoas. "Eu tenho vários amigos que vivem no bairro." Não e não. Você “tem vários amigos no bairro”, basta.
2. Fui
Eu fui para a escola. Ou à loja, ou à igreja, ou para um trabalho no Rio, onde quer que seja. Em vez de fui, considere dirigi, andou, correu ou voou. Há inúmeras formas de ir daqui para lá. Escolha uns. Não seja preguiçoso, não perca a chance de melhorar sua história.
3. Sinceramente
As pessoas usam sinceramente ou honestamente para dar ênfase. Mas quando escrevem isso não percebem que podem estar colocando em cheque outros trechos de suas mensagens. Ora, foi sincero só naquele trecho? E agora, está mentindo?
4. Absolutamente
Para a maioria das sentenças, adicionar “absolutamente” é redundante. Ou algo é necessário ou não é. “Absolutamente necessário” não o torna mais necessário.
5. Muito
Adjetivos precisos não precisam ser qualificados. Mas se eu precisar qualificá-lo? Substitua-o. Usa-se “muito” para ampliar um verbo, um adjetivo ou outro advérbio. Mas o que ele faz é deixar sua declaração menos específica. Se você é muito feliz, ponha êxtase. Se você é muito triste, tente melancólico ou deprimido. Muito triste é uma forma preguiçosa de ir ao ponto. Outra armadilha de usar muito como amplificador: é subjetivo. Muito frio e muito alto podem significar coisas diferentes para pessoas diferentes. Seja específico: “ela tem um metro e noventa” ou “está 10 graus abaixo de zero”...  Isso sim melhora sua história e garante que o leitor compreende seu ponto de vista.
6. Realmente
Assim como “sinceramente”, não há necessidade de usar “realmente” para modificar um adjetivo, verbo ou um advérbio. Escolha uma palavra diferente para destacar seu ponto. E nunca repito o “realmente”, ou fica excessivo. Isso só mostra que você escreve mal.
7. Incrível
A palavra significa que causa grande surpresa ou espanto repentino. É um sinônimo de maravilhoso, incrível, surpreendente, notável, milagroso, alucinante e impressionante. Assim fica mais claro. Se tudo é incrível, nada é.
8. Sempre
Usar sempre prende o escritor em uma posição e soa pretensioso. Sempre raramente é verdade. A menos que você esteja dando comandos escritos ou uma instrução, encontre outra palavra.
9. Nunca
É o mesmo problema do “sempre”. Evite, substitua.
10. Literalmente
Literalmente significa literal. Realmente acontecendo como o indicado. Sem exagero. Quando o termo é usado, o escritor quer dizer figurativamente. O que quer que esteja acontecendo, está sendo descrito metaforicamente.
11. Apenas
Normalmente é uma palavra de pura enrolação. Faz efeito contrário, sua frase perde força. A menos que você a use como um sinônimo para equitativo, justo, imparcial ou imparcial, não a use em tudo, é cacoete de linguagem.
12. Talvez
A palavra faz você parecer desinformado, inseguro, sem saber dos fatos que está apresentando. Qualquer que seja o tema, certifique-se do que está escrevendo. A única coisa que você passa quando inclui essa expressão é a incerteza.
13. Coisa
Esta palavra é casual, genérica. Serve para enaltecer algo melhor que está por vir. Mas e se os pormenores do assunto não são suficientemente importantes para serem incluído no texto? Não faça referência a ele em tudo. Seja mais específico, dê nome aos bois, pare de enrolar e de “encher linguiça”.

Se você estiver escrevendo em nome de seu chefe, atualizando um blog, vendendo um produto ou terminando sua tese de mestrado, você precisa manter o seu leitor engajado. Substituir estas 13 palavras é um ótimo jeito de tirar gordura da sua prosa. O que você ganha? Vai parecer mais objetivo, seguro e inteligente.

 

Fonte: http://www.ivie.com.br/