segunda-feira, 26 de abril de 2021

Crescimento da pandemia e outros assuntos são debatidos na sessão da Câmara Municipal de Tauá

 

A Câmara Municipal de Tauá realizou de forma virtual, nesta segunda-feira (26), sob o comando do Presidente Helder Castelo, a 13ª sessão ordinária da atual legislatura. A sessão contou mais uma vez com a boa participação dos parlamentares e também com a interação do público que participou ativamente fazendo comentários durante toda a transmissão.

Um dos assuntos mais debatidos foi a situação do crescimento da pandemia Covid-19, no município de Tauá, assunto levantado em pronunciamento do vereador Argentino Filho. Segundo ele, a pandemia chegou a uma situação alarmante, assustadora, trazendo uma grande preocupação para parte da população. O vereador fez relatos de pessoas que não receberam o devido atendimento através das ESFs, como o acompanhamento, falta de medicação e testagem. Disse ainda o vereador que uma parenta do mesmo morreu após passar alguns dias esperando um leito de UTI, enquanto outros pacientes chegavam e ocupavam as vagas que surgiam. 

O vereador Luis Tomaz aparteou o vereador Argentino e garantiu que as denúncias e reclamações serão apuradas através do comitê de combate ao coronavírus, do qual ele faz parte. O vereador Marco Aurélio também em aparte, disse que a ocupação das UTIs é controlada pelo estado e não há ingerência do município. 

A questão da pandemia foi abordada ainda em pronunciamentos do vereador Luis André, que disse ter agido errado o município ao trocar a equipe anterior que fazia o trabalho de acompanhamento dos casos confirmados. O vereador Alaor reforçou o apelo para que o atendimento seja melhorado. 

Na ordem do dia foram votadas matérias como requerimento, moções de pesar e de congratulações, além de dois projetos. Foi aprovado por unanimidade, projeto de resolução de autoria dos vereadores Alaor Mota, Luis Tomaz e Marco Aurélio, que altera a redação do artigo 08º do regimento interno do legislativo. A alteração é apenas adequando o regimento a lei orgânica, permitindo que o parlamentar eleito possa assumir a vaga em até 30 dias, se não puder participar da posse geral. 

Foi rejeitado pela maioria do plenário, o projeto de lei 21, de autoria do vereador Luis André, que propunha a alteração da lei municipal 2046, que criou a feira livre em Tauá. O vereador propunha no projeto a criação de uma comissão para acompanhar as decisões relacionadas a feira. A comissão de constituição e justiça, por 2 x 1, considerou o projeto inconstitucional. O parecer da comissão foi mantido no plenário por 8 votos a 5. O projeto foi rejeitado por 08 votos a 06. 

VEJA A PAUTA

ASSISTA A SESSÃO

Repórter Edy Fernandes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botões de Compartilhamento