sexta-feira, 10 de julho de 2020

Encerrada a CPI criada na Câmara Municipal de Tauá com à apresentação de dois relatórios


Foi encerrada na manhã desta sexta-feira, 10, a CPI instalada no mês de maio, na Câmara Municipal de Tauá, para apurar denúncias de concessões de gratificações ilegais e demissões no executivo tauaense e no Consórcio de Saúde da região Inhamuns, que é presidido pelo prefeito Fred Rêgo. Após a composição da CPI começou a disputa a partir da indicação de dois membros do PSD, partido majoritário no legislativo, deixando de fora um integrante do PP que conta com dois parlamentares. Atendendo uma recomendação do Ministério Público, o integrante do PP foi integrado a comissão e posteriormente foi retirado na interpretação de uma decisão judicial. 

Uma comissão, que é a reconhecida pela presidência do legislativo, seguiu formada pelos vereadores Marco Aurélio e Valdemar Junior. Essa comissão ouviu depoimentos de diretores e ex-diretores do Consórcio de Saúde e de servidores demitidos, além do prefeito de Aiuaba, Ramilson Araújo. O prefeito de Tauá, Fred Rêgo, foi convocado, mas não compareceu. Essa CPI encerrou os seus trabalhos apresentando um relatório de 100 páginas onde diz que aconteceram irregularidades na gestão municipal e do consórcio. Essa CPI teve a transmissão da reunião através dos canais institucionais da Câmara Municipal. 

Assista a CPI

A outra comissão que não é reconhecida pela presidência da Câmara, seguiu também com suas reuniões, composta pelos vereadores Edyr Lincon, do PP como presidente e Wellinton Junior do PSB como relator. A comissão também encerrou os trabalhos e apresentou um relatório de apenas 04 páginas. O conteúdo é diferente e pede o arquivamento de denúncias apresentadas. 

Repórter Edy Fernandes 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botões de Compartilhamento