terça-feira, 16 de junho de 2020

Polêmica continua na CPI criada na Câmara Municipal de Tauá


Mais um capítulo da polêmica CPI, comissão parlamentar de inquérito, instalada na Câmara Municipal de Tauá, foi registrado na manhã desta terça-feira, 16. A CPI marcou para hoje as primeiras oitivas, com o representante da empresa terceirizada, Conceito, que presta serviços para o Consórcio de Saúde da região dos Inhamuns e um dos diretores do consórcio, Artur Emidio. A reunião da comissão foi aberta pelo vereador Marco Aurélio, PSD, que diz que entende que é o presidente da CPI de acordo com uma liminar concedida pela Justiça. O vereador Edyr Lincon, PP, entrou em seguida na reunião, que é virtual, dizendo que permanece na presidência da CPI, baseado no ato 02, do legislativo e que nenhuma decisão judicial o tirou da presidência da comissão. O seu microfone foi cortado a pedido do vereador Marco Aurélio. Na sequencia o vereador Wellinton Junior, que é indicado pelo PSB, questionou mais uma vez a legalidade da comissão, que segundo ele, é totalmente ilegal desde a sua criação. O vereador disse que não reconhece a legalidade da comissão.

O vereador Marco Aurélio deu sequencia a reunião e mais uma vez cobrou que o vereador Edyr Lincon envie toda a documentação e os arquivos da CPI que estão com o mesmo. Da mesma forma o Presidente do legislativo, Felipe Viana, enviou oficio ao parlamentar solicitando a documentação e os arquivos em um prazo de 24h, sob pena de busca e apreensão. A comissão decidiu adiar mais uma vez as oitivas que ficaram marcadas agora para quinta-feira, 18, sendo o terceiro adiamento.

CONFIRA A REUNIÃO

Repórter Edy Fernandes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botões de Compartilhamento