sexta-feira, 1 de março de 2019

Ministério Público abre procedimento para investigar possível golpe contra universitários em Quiterianópolis


A julgar por depoimentos de alunos mais um golpe foi aplicado em oferta de ensino superior na cidade de Quiterianópolis, nos Inhamuns.

O promotor de Justiça da comarca de Quiterianópolis, José Haroldo dos Santos Silva Júnior, ouviu depoimentos de alunos que estudavam na Faculdade Latino Americana de Educação (Flated), em Quiterianópolis.

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) iniciou um procedimento administrativo para apurar, inicialmente, responsabilidades civis da instituição que foi descredenciada pelo Ministério da Educação (MEC).

Cerca de 200 alunos estudavam na modalidade plataforma com aulas ‘on line’ em casa e fim de semana em uma unidade local em cursos de Administração, Pedagogia e Ciências Contábeis.

A partir da informação de que a Flated foi descredenciada pelo MEC, os alunos sentiram-se enganados e agora buscam por direitos. Estudantes de Ciências Contábeis que já concluíram a faculdade há mais de um ano ainda não receberam seus diplomas. Esse curso foi coordenado por Patrícia Moura, mas foi ofertado por outra instituição de ensino à distância, identificada por Uessba, que tem sede em Irecê na Bahia.

Joana D’arc Maia, aluna do 8º semestre de Administração, disse que vive um pesadelo. “Espero por justiça, fomos lesados, passados para trás”, disse.

Karisna Joice, aluna do 8º semestre de Pedagogia, esperava concluir a faculdade em maio próximo. “Não sabemos o que fazer, os diplomas não serão mais expedidos pela Flated”, disse. “Estamos com medo”.

O advogado, Valdônio Costa, que representa alguns alunos, observou que representantes da Flated agora se apresentam como representantes de uma outra instituição, Uninta, com sede em Sobral. “Esperamos que diretores da Uninta venham até aqui confirmar essa proposta de migração dos alunos que tiveram prejuízo, perderam o sonho de se formar”, explicou. “A nossa orientação é que por enquanto não assinem nada, não migrem, porque para Quiterianópolis não há cursos autorizados e podem correr novos riscos diante de tantas incertezas”.

Reunião

No domingo passado, uma pessoa identificada como Adriano Aguiar,reuniu-se com os alunos e teria proposto a migração de instituição. Aguiar, segundo os alunos, representava a Flated.

“Antes, eles eram representantes da Flated, agora se apresentam como representantes da Uninta”, disse a aluna, Joana D’arc Maia. “Iria terminar em setembro próximo, mas com a migração querem que volte para o quinto semestre, que é o período de uma turma em andamento do curso de Administração”.

Tentativa de esclarecimentos

O Blog Diário Centro-Sul ligou para Patrícia Moura que, segundo os estudantes, era a responsável local da Flated. Ela disse, entretanto, que era apenas aluna e que atualmente é gerente local do Polo da Uninta, modalidade de ensino à distância (EAD).

Patrícia Moura informou um telefone que seria de uma empresa de Adriano Aguiar, mas a pessoa que atendeu disse que não conhecia Adriano Aguiar e que nunca trabalhou na Flated.

A secretária do Centro Universitário Inta (Uninta), em Sobral, Aline, informou que o assunto deveria ser tratado com o responsável pela modalidade EAD da Uninta, identificado como Amilton, mas os dois telefones fornecidos estavam desligados ou fora da área de cobertura. O Blog quer saber se Adriano Aguiar representa a instituição em Quiterianópolis e se é possível ocorrer a migração proposta.

Fonte:http://blogs.diariodonordeste.com.br/centrosul com colaboração de Cícero Lacerda

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botões de Compartilhamento