terça-feira, 27 de março de 2018

Dois réus condenados em julgamento do Tribunal do Júri da Comarca de Tauá


O Tribunal do Júri da Comarca de Tauá,sob a presidência da drª Giséli Lima,voltou a se reunir nessa terça-feira,27,para o julgamento de dois réus.Foram submetidos a julgamento Ivson Sérvulo Verissimo Lô,conhecido como Ivinho e Djalma Viana Cavalcante,acusados do assassinato do adolescente Carlos Daniel Soares Teles,conhecido como Danielzinho,fato ocorrido no dia 13 de setembro de 2015,na rua Nenen Borges,no centro de Tauá.

Ivson não compareceu ao julgamento,enquanto Djalma foi conduzido do presidio de Crateús para Tauá,participando do júri.No percurso da condução do réu foi percebido um veiculo em atitude suspeita seguindo a viatura da Sejus o que provocou um atraso no inicio dos trabalhos.Foi solicitado o reforço policial para o Fórum e a sessão que estava prevista para começar as 09h só começou as 11h.

O Ministério público estava representado pela drª Karine Mota,enquanto a defesa do réu Djalma foi feita pelo defensor,dr.Antonio Lopes e do réu Ivson pelo advogado dr.Carlos Augusto,Guto Lima.Logo no inicio do julgamento,o réu presente,Djalma,foi ouvido,quando negou a autoria do crime e disse que estava apenas presente no local do fato,sendo Ivson o autor do homicidio.

A defesa e a acusação travaram um grande debate e o júri só veio terminar no final da tarde dessa terça-feira.De acordo com a sentença do Tribunal do Júri,o Réu Ivson Sérvulo,foi condenado a 08 anos de prisão.A defesa conseguiu a desclassificação de homicidio duplamente qualificado(crime hediondo),para homicidio privilegiado,com uma qualificadora do motivo surpresa que dificultou a defesa da vitima.A condenação de 08 anos poderá ser cumprida inicialmente em regime semi-aberto.

O réu Djalma foi condenado a 12 anos de prisão,por homicidio qualificado,que dificultou a defesa da vitima,crime hediondo,e inicialmente deve ser cumprido em regime fechado.Ele já estar preso há dois anos e seis meses e vai continuar,podendo começar uma progressão da pena com o cumprimento de 2/5 da condenação.

O próximo julgamento está marcado para o dia 16 de maio as 09h.O réu é Expedito Edivan Martins dos Santos.

Repórteres Edy Fernandes e Flaviano Oliveira