quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Aluno do IFCE de Tauá embarca para intercâmbio em Portugal


O aluno Loran Gonçalves, do curso superior de Tecnologia em Telemática do IFCE de Tauá, embarcou na última terça-feira (13) para Portugal. Por meio do programa IFCE Internacional, ele passará seis meses estudando no campus do Instituto Politécnico de Bragança (IPB) localizado na cidade de Mirandela.

O jovem de 19 anos é o terceiro estudante do campus de Tauá classificado para o intercâmbio; já passaram pela experiência Áquilas Cavalcante, em 2016, e Débora Gonçalves em 2017. Após a graduação no curso técnico de Agronegócio e o ingresso em Telemática, Loran cumpre mais uma importante etapa da carreira construída no campus de Tauá. Filho caçula de mãe agricultora e pai falecido há cerca de três anos, o estudante viu no intercâmbio uma oportunidade de conhecer outro país, melhorar o currículo e ter, assim, uma vida melhor. "Quando eu era criança, meu pai olhava pra gente e dizia: 'Vocês querem estudar ou querem ir pra roça?', e eu já sabia o que era a roça. Eu dizia 'Não, pai, eu vou estudar'", diz emocionado. "Eu vejo que essa conquista é um grande mérito pra ele. Onde quer que ele esteja, acho que está muito alegre por mim".

Agora, depois de realizar o sonho de viajar de avião e acalmar a ansiedade, ele está tentando se adaptar ao frio europeu desta época do ano e às demais diferenças em relação à terra de origem: "Aqui é outra realidade". O estudante terá ainda alguns dias para se organizar até o início das aulas, na próxima segunda-feira (19).

IFCE Internacional
Além de Loran, foram para Portugal, nesta semana, alunos dos campi de Acaraú, Limoeiro do Norte, Ubajara, Jaguaruana, Tianguá, Iguatu e Morada Nova. O Programa IFCE Internacional foi institucionalizado em 2013 e já garantiu a mais de 100 estudantes a experiência de aprendizagem fora do País. Todos os anos, é divulgado o edital que regulamenta a seleção. A ação, pioneira na Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica, tem servido de exemplo para outros institutos federais.

Por: Larissa Lima (Tauá)