terça-feira, 22 de novembro de 2016

Facebook anuncia 7 medidas para combater disseminação de notícias falsas


Pela terceira vez em poucos dias, Mark Zuckerberg resolveu se pronunciar acerca da presença de notícias falsas no Facebook. Desta vez, porém, o CEO revelou quais são os planos da sua equipe para combater o problema.
“Normalmente não divulgaríamos detalhes sobre nosso trabalho em andamento, mas devido à importância dessas questões e ao tamanho do interesse neste tópico, eu quero esboçar alguns dos projetos que já temos a caminho”, contou o executivo.
Zuckerberg manteve o que vem falando desde que o Facebook passou a ser apontado pela imprensa norte-americana como um dos responsáveis pela eleição de Donald Trump à presidência do país. Segundo ele, o percentual de notícias falsas na rede “é relativamente pequeno”. Mesmo em menor número, entretanto, elas fazem barulho, tanto que um estudo comprovou que os principais links mentirosos que circulavam às vésperas do pleito obtiveram mais engajamento do que os verdadeiros. Sobre isso, Zuckerberg jogou parte da culpa nos próprios usuários.
“Os problemas aqui são complexos, tanto tecnicamente quanto filosoficamente”, escreveu ele. “Acreditamos em dar voz às pessoas, o que significa pecar no sentido de deixar as pessoas compartilharem o que elas quiserem sempre que for possível. Precisamos ser cuidadosos para não desencorajar o compartilhamento de opiniões ou restringir erroneamente o que for conteúdo preciso.” O CEO ainda fez questão de salientar: “Não queremos ser árbitros da verdade, e sim contar com a nossa comunidade e em parceiros confiáveis.”
AS SETE MEDIDAS
  1. Detecção reforçada: “A coisa mais importante que podemos fazer é melhorar nossa capacidade de apontar informação falsa. Isso significa sistemas técnicos melhorados para detectar o que as pessoas vão sinalizar como falso antes que eles façam isso sozinhos.”
  2. Denúncias mais fáceis: “Fazer com que fique muito mais fácil para as pessoas reportarem histórias como falsas nos ajudará a pegar mais desinformação rapidamente.”
  3. Verificação terceirizada: “Há muitas organizações de ‘fact checking’ respeitáveis e, apesar de termos feito contato com algumas, planejamos aprender com muitas outras.”
  4. Avisos: “Estamos explorando identificar histórias que tiverem sido sinalizadas como falsas por ferramentas terceirizadas ou pela nossa comunidade, e mostrar avisos quando as pessoas lerem ou compartilharem [isso].”
  5. Artigos relacionados de qualidade: “Estamos melhorando a qualidade das histórias que aparecem nos artigos relacionados abaixo dos links no Feed de Notícias.”
  6. Destruindo as finanças das notícias falsas: “Muita desinformação é bancada por spam com motivações financeiras. Estamos procurando formas de destruir as economias com políticas de publicidade como a que anunciamos no começo desta semana, e melhorar a detecção de fazendas de publicidade.”
  7. Ouvir: “Vamos continuar trabalhando com jornalistas e outros na indústria de notícias para obter suas ideias, em particular, para entender melhor seus sistemas de checagem e aprender com isso.”
Fonte:olhardigital.uol.com.br