quarta-feira, 1 de junho de 2016

Homem que matou o próprio irmão em Arneiroz é condenado a 21 anos de reclusão


Depois de um ano e três meses do assassinato do senhor José Dias da Silva, ocorrido em Arneiroz, foi a Júri popular nesta terça-feira, 31, o acusado pelo crime, seu próprio irmão, Manoel Gonçalves Dias, 54, conhecido como Gonçalo ou Casadinho .

O Julgamento iniciou por volta das 10 horas e encerrou às 15h20, no Fórum local da Comarca Vinculada de Arneiroz, e foi presidido pela meritíssima Juíza Dra. Giselli Lima Sousa, na representação do Ministério Público, Promotor Dr. Juscelino Oliveira Soares, e como assistente de acusação, Dr. José Viana de Abreu, e na defesa do réu, o advogado Dr. Carlos Augusto Custódio Lima ( Dr. Guto).

Ao iniciar o júri, o réu foi ouvido pela magistrada. Na ocasião, o mesmo mudou a versão sobre os fatos apresentadas anteriormente, negando que tenha sido o mesmo que teria cometido o crime contra o irmão, indicando que teria sido acidental, pois  em depoimento na Delegacia o acusado havia confessado o crime, bem como em juízo durante a audiência de defesa. Contudo, não lhe foi concedido o beneficio da confissão para diminuição da pena.

Em seguida, houve os debates entre o ministério público e  a defesa do réu, tendo um intervalo de meia hora para o almoço.

Ao encerrar, foi proferida a sentença, e por maioria de votos, o conselho de sentença condenou o réu a 21 anos de reclusão pelo crime de homicídio consumado qualificado por motivo fútil e por meio que dificultou ou tronou impossível a defesa da vítima.

Após o julgamento, Gonçalo foi encaminhado a carceragem da Cadeia Pública de Tauá, onde continuará preso.

O 1º Júri de 2016 em Arneiroz e o 4º da história da Comarca no município, foi considerado positivo, avaliou a juíza, pois tudo transcorreu dentro da tranquilidade.

Familiares da vítima e consequentemente também do acusado estiveram presentes durante a sessão.

Por Flaviano Oliveira - repórter.