segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Reajuste dos professores foi o principal debate no retorno das atividades da Câmara Municipal de Tauá


A Câmara Municipal de Tauá retornou do recesso,nesta segunda-feira,06,com a realização da primeira sessão ordinária do segundo semestre legislativo.Um bom público prestigiou o retorno das atividades em plenário dos legisladores,sendo uma platéia formada principalmente por professores da rede Municipal.Eles foram a Câmara vestidos de preto e mais uma vez reivindicar o apoio pela falta do reajuste anual para os servidores da Educação.O assunto foi o principal debate da sessão,através de pronunciamentos e apartes dos parlamentares e de representantes da categoria.

O vereador Felipe Viana,ocupou a tribuna,quando chamou à atenção para o descumprimento da Lei de responsabilidade fiscal por parte do Municipio,quando gasta 66% da receita corrente liquida com pessoal,quando o gasto só pode ser até 54%.O vereador anunciou que estava disponibilizando para as entidades que representam os professores,a relação das lotações das escolas,onde se ver verdadeiros absurdos,como super salários e muitos que não trabalham.Ainda segundo o vereador,houve uma reforma administrativa no Municipio,mas os secretários que foram exonerados continuaram em folha.Felipe Viana disse que os professores estão de mãos atadas e vivendo como em um regime de escravidão,diante da grande perseguição sofrida.

Em aparte ao pronunciamento,a vereadora Fátima Veloso frisou que a Educação está sendo mal tratada e mal cuidada pela gestão Municipal.Ressaltou o desrespeito com os servidores e lembrou que os Municipios vizinhos concederam o reajuste,enquanto em Tauá a situação é um verdadeiro caos.Também em aparte o vereador Valdemar Júnior chamou à atenção para uma denúncia que recebeu de professores que estão em estágio probatório que foram alertados para não comparecerem a Câmara,sob pena de serem prejudicados.O vereador Argentino Filho também fez um aparte e disse que nas escolas estão sendo demitidos vigias e outros servidores e que o patrimônio público está ficando sem proteção.

No encerramento do seu pronunciamento,o vereador Felipe Viana alertou que estão demitindo servidores da Educação,para colocarem outros,para votarem em determinados candidatos.Em seguida ele repassou para os representantes do Sindicato Apeoc e Aprofe,o relatório com as lotações de 2017 e 2018.Diante de tantos fatos,como demissão de 19 garis,falta de reajuste dos professores,além de outros,segundo o vereador,colocam o Municipio de Tauá em uma verdadeira UTI.O vereador fez ainda um requerimento verbal,onde solicita de diversas secretarias,a documentação referente a dispensa de licitação dos anos 2017 e 2018.A decisão foi tomada diante da falta de informações que foram solicitadas pelo parlamentar.Segundo ele,após analisar toda a documentação fará os encaminhamentos necessários para o Ministério Público e Policia Federal.

O Vereador Antonio Coutinho também abordou a questão dos salários dos professores no seu pronunciamento.Segundo o parlamentar,nos 28 anos de mandato no legislativo,nunca presenciou uma situação como essa,onde já se chegou ao mês de agosto e os professores não receberam o reajuste.

A professora Marcia e o professor Auci,também ocuparam a tribuna,representando a Aprofe e o Sindicato Apeoc no debate do assunto.Foi renovado o convite para a Assembléia geral da categoria que acontece nessa terça-feira,podendo ser deflagrada a greve dos servidores.