segunda-feira, 25 de junho de 2018

Demissão de servidores é debatida no plenário da Câmara Municipal de Tauá


A demissão considerada em massa de servidores do Municipio de Tauá,foi um dos assuntos mais debatidos na sessão desta segunda-feira,25,da Câmara Municipal.O primeiro a falar sobre o assunto foi o vereador Chico Neto,ex-lider do executivo no legislativo.No inicio do seu pronunciamento,ele disse que o prefeito dr.Carlos Windson não valoriza quem votou nele e demitiu várias pessoas que andaram com ele durante duas campanhas,enquanto acolhe pessoas que não votaram no atual gestor.Ele citou exemplos,sem citar nomes,de pessoas que ocupam cargos importantes e ganhando bem,na Secretaria de Saúde,que não votaram no atual prefeito.Segundo o vereador Chico Neto,a justificativa que a as demissões são para contenção de gastos não convence,já que os que estão sendo demitidos são os servidores pobres e que ganham um baixo salário.Para ele,foi um ato de perseguição e covardia.

Em aparte o vereador Felipe Viana lamentou a forma como esses servidores foram demitidos,sem qualquer aviso prévio para uma programação financeira.Segundo ele,são pessoas humildes,algumas não ganhavam nem um salário minimo e que foram demitidas sumariamente por uma questão politica.

O vereador Vony Sousa,também fez um aparte ao pronunciamento do vereador Chico Neto e lamentou a forma como algumas pessoas receberam a comunicação da demissão.Ele citou o exemplo de um servidor que estava chegando na sua residência para assistir o jogo do Brasil,quando um mensageiro da prefeitura gritou no meio da rua indagando se ele já tinha recebido a comunicação da demissão.Ele considera essa forma muito vil e desleal.Ainda segundo ele,uma pessoa ligada ao executivo esteve no Bom Jesus procurando com uma lupa quem era funcionário ligado ao parlamentar para fazer a demissão.

O vereador Argentino Filho também fez um aparte e disse que tem provas que as demissões foram apenas uma perseguição politica.Segundo ele,quando o funcionário chegava no setor de recursos humanos da Secretaria de Saúde era interrogado em quem tinha votado e o servidor informava que a demissão era exatamente por ter votado no vereador.Ele anunciou que as provas serão levadas ao Ministério Público.

O vereador Argentino também ocupou a tribuna para falar sobre as demissões,o que ele considera uma ingratidão da parte do gestor Municipal.Segundo ele,são pessoas humildes,como recepcionistas,vigias,etc que tem os seus compromissos e foram demitidas.O vereador apresentou um requerimento pedindo a convocação do Secretário de Saúde,Joel Campos,para falar sobre as demissões.O requerimento foi aprovado por unanimidade.O vereador Argentino disse que também quer questionar o secretário sobre a seleção feita pela secretaria e também sobre a nomeação de servidores comissionados que não estão prestando serviço e alguns nem moram no Municipio.O vereador também disse no seu pronunciamento que uma secretaria do Municipio convocou os servidores e deu um prazo de dois dias para que cortassem todas as ligações com o mesmo,inclusive deixando de falar com ele e depois disso cumprido, voltassem ao trabalho.