segunda-feira, 14 de maio de 2018

Presidente da Associação dos Mototaxistas debate os problemas da categoria na CMT


O presidente da Associação dos Mototaxistas de Tauá,Raimundo Pereira,ocupou a tribuna da Câmara Municipal,na sessão dessa segunda-feira,14,para falar sobre a situação da categoria.No inicio de sua fala,o presidente relatou que foi eleito em junho do ano passado e em julho teve uma reunião com a Autarquia Municipal de Trânsito,quando foram feitas várias reivindicações.Naquela oportunidade a receptividade foi boa,mas segundo o presidente até o momento nada foi colocado em prática.

A Associação reivindicou a organização de 04 abrigos,sendo que apenas um foi providenciado,mas ainda não foi concluido;A limitação do tráfego das topiques na cidade;o combate a pirataria,onde já tem gente vindo de outros Municipios como Parambu e de Arneiroz para trabalhar,além do aumento de vagas.Segundo o presidente,recebeu um alvará já pronto para a ampliação de vagas,mas entende que o momento não é ideal por conta da crise que a categoria atravessa.

O presidente da Associação reclama que a AMT quer que a categoria cumpra suas obrigações,mas não faz a sua parte,principalmente o que foi acertado na reunião.Ele deixou claro que falta diálogo com o diretor da Autarquia.Uma das cobranças da AMT é para que haja uma renovação da frota a cada 05 anos de uso e a troca da placa para uma vermelha.O presidente entende que isso não é possivel diante da atual crise e sugere que seja feita uma vistoria para verificar se cada motocicleta tem condição de uso ou não.Raimundo Pereira disse que recebeu ameaças de cassação da concessão caso não sejam cumpridas as determinações.De acordo com o presidente o mototaxista que consegue fazer 10 corridas durante o dia e apura 40,00 é um herói.Atualmente existem 212 mototaxistas legalizados,de acordo com a associação.Alguns parlamentares sugeriram que hava uma reunião com a participação do gestor Municipal,parlamentares e a representação da categoria para tratar sobre a situação.