sábado, 14 de outubro de 2017

Menina cega dança e vai ganhar 10 centavos a cada compartilhada! Será?


É verdade que os amigos de um hospital fizeram campanha para uma bebezinha cega e a cada vez que o vídeo dela for compartilhado ela vai ganhar R$0,10 para cirurgia?
A corrente foi divulgada com força nas redes sociais na segunda semana de outubro de 2017 e conta a comovente história de uma menina cega que aparece dançando em um vídeo, ao som de uma música tocada em um ukulele.
De acordo com o texto que acompanha o vídeo e que também se espalhou através do WhatsApp, a bebê é cega e, a cada vez que o filminho for compartilhado, ela ganhará 10 centavos para ajudar na cirurgia dela!
Será que isso é verdade ou mais uma farsa da web?
Em primeiro lugar, é muito difícil de se saber para quantas pessoas o vídeo foi compartilhado. No Facebook é até possível verificar quantas “compartilhadas” a postagem teve, mas já no WhatsApp é impossível! Simplesmente não dá pra saber!
Vamos aos detalhes dessa corrente:
  • Quem são os amigos do hospital que teriam feito essa campanha?
  • Em qual hospital ela está internada?
  • Qual é o nome da garota?
  • Qual é a cirurgia a qual ela será submetida?
  • Qual é o valor dessa cirurgia?
  • Quem está bancando essa campanha?
Como o texto não dá nenhuma informação a respeito, fica difícil de se verificar.
A verdade é que esse vídeo não é novo e nada tem a ver com campanhas de arrecadação de “compartilhadas”!
A menina simpática que aparece dançando no vídeo se chama Shophia e tinha um ano e quatro meses quando foi flagrada dançando ao som de um música tocada com um ukulele.  Ela foi diagnosticada com histiocitose das células de Langerhans(LCH). O tratamento Em crianças se baseia na combinação de corticosteroides e vimblastina e é bastante demorado e sofrível.
O vídeo foi postado no perfil do pediatra Paulo Martins, no Facebook, no dia 14 de março de 2017 e teve apenas 4.800 compartilhamentos (muito menos que a quantidade de vezes que a corrente falsa foi compartilhada).
A filmagem havia sido feita duas semanas antes e Paulo Martins, residente de pediatria na área de oncologia do Hospital das Clínicas da USP de Ribeirão Preto, disse em entrevistas que:
“Foi um momento mágico, único, e pareceu que simplesmente todos os problemas haviam desaparecido e tudo estava em paz na enfermaria”
Em entrevista ao Estadão, o médico disse que a ideia de levar o instrumento para o hospital surgiu depois de perceber que as crianças maiores e adolescentes sabem o que está acontecendo e “acabam entrando numa tristeza muito grande”. O ukulele trouxe um pouco de alegria para o lugar.

Conclusão

O vídeo que mostra uma menina dançando em um hospital nada tem a ver com uma corrente falsa pedindo “compartilhadas” para o tratamento de uma menina cega! A bebezinha não é cega e tinha pouco mais de um ano de idade quando foi filmada, em março de 2017!
Fonte:www.e-farsas.com