segunda-feira, 31 de julho de 2017

Associação Arte Jucá é contemplada no edital Escolas da Cultura


A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) divulgou, nesta segunda-feira, 31, o resultado final do Edital Escolas da Cultura, após a divulgação da Habilitação Jurídica, no dia 27. Através do edital, a Secult investirá R$ 10,5 milhões para apoiar instituições da sociedade civil que executam ações de formação. O trabalho dessas instituições será reconhecido pela administração estadual e passará a contar com apoio financeiro pelos próximos três anos, garantindo a continuidade, a sustentabilidade e a abrangência das ações formativas que beneficiam diretamente a população.

O edital faz parte de uma ampla política de formação cultural, por meio da criação do Programa Escolas da Cultura, uma das metas prioritárias do Governo do Estado, na gestão do governador Camilo Santana. Além de reconhecer e potencializar ações continuadas de formação artística e cultural desenvolvidas por instituições da sociedade civil, o edital tem como objetivo incentivar a criação de novas ações de formação, apostando em suas possibilidades de experimentação e contribuição para o circuito das artes e da cultura do Estado.

Entre os contemplados está a Associação Arte Jucá com o projeto ELTI – Escola Livre de Teatro dos Inhamuns, que realizará uma série de ações formativas na área das artes cênicas junto a crianças, adolescente e jovens dos municípios de Tauá e Arneiroz.Segundo o diretor artistico da Associação Arte Jucá,Robson Cavalcante,O ‘Escolas da Cultura’ e sua proposta de fomento por três anos, quando idealizado, significou para nós a esperança de dar solidez a um processo de formação que desenvolvemos em nossa região desde a nossa fundação nos anos 2000 e que carecia de condições básicas que garantissem uma ação continua. A esperança agora caminha para tornar-se realidade com a nossa aprovação neste edital que vemos como uma feliz iniciativa de fomento a educação artística, protagonizada pela Secult, em especial, fruto das convicções e do trabalho de Fabiano Piuba, um entusiasta da relação educação/cultura que desde o primeiro momento como secretário de estado já trazia consigo a convicção de que este era um dos caminhos para uma política pública de cultura eficiente e transformadora.