terça-feira, 25 de abril de 2017

Como reconhecer um mentiroso?


A vida seria mais fácil para ciumentos, caçadores de terroristas e jornalistas se nascêssemos com um termômetro da mentira. Mas estudos mostram que somos péssimos detectores de lorotas. “Nenhuma expressão indica por si só uma mentira. Há apenas pistas de que estamos mal preparados e de que os sentimentos que demonstramos não combinam com nosso comportamento usual”, diz o psicólogo especialista em detectar emoções Paul Ekman – nele se inspirou a série Lie To Me (Fox). Mas não é impossível pegar alguém no pulo. Para começar, não espere detectar mentiras no primeiro encontro. É preciso entender qual é o comportamento padrão da pessoa, pois são as mudanças bruscas que levantam suspeitas. E mantenha as expectativas em baixa: avaliadores menos confiantes se saem melhor. Finalmente, não foque apenas no que a pessoa diz e preste atenção nos pequenos movimentos do corpo e do rosto e nas variações do tom de voz. Eles valem mais que mil palavras.

Corpo cagueta
Quando se falsifica uma expressão, um número menor de músculos faciais é contraído

FALA
Quando as hesitações aumentam, pode ser que a pessoa esteja maquiando algo, mas não tenha bolado um plano para isso. Portanto, atenção às repetições, às pausas e à falta de fluência. Se as hesitações diminuírem ao longo da fala, a resposta pode ter sido ensaiada.

TOM DE VOZ
Quando a pessoa tenta disfarçar sentimentos que emergem enquanto fala, o deslize é quase certo. Se o objetivo é esconder raiva ou medo, ela alterna o tom entre grave e agudo, ao mesmo tempo em que fala mais rápido. Além disso, 70% das pessoas ficam com voz mais aguda quando estão tristes.

SOBRANCELHA
É na testa que se concentram os músculos mais delatores, que se movimentam involuntariamente. Quando uma pessoa sabe a resposta, costuma levantar de imediato as sobrancelhas. Se não sabe ou tem dúvida, elas tendem a cair.

SORRISO REAL
Quando somos genuínos, mais músculos faciais entram em ação. Num sorriso moderado – e falso -, não aparecem os pés de galinha, as bochechas não são levantadas e os olhos ficam menos apertados. No caso de um amplo sorriso, é ainda mais difícil: veja se a pálpebra superior dobra-se um pouco sobre os olhos.

QUEIXO
Uma pessoa que não está realmente triste precisa mexer os músculos do queixo para puxar os cantos da boca para baixo. Se estamos de fato chateados, o movimento apenas dos cantinhos é natural – menos de 10% de nós consegue pirateá-lo.

Falsos indícios
Alguns sinais clássicos atribuídos à mentira não dizem nada
+ Confortar a si mesmo alisando os cabelos, abraçando o corpo ou até tirando a cera do ouvido ou a meleca do nariz é sinal de embaraço, mas não é por si só sintoma de mentira. Investigue mais a fundo a razão do incômodo.

+ A ideia de que a credibilidade está no olhar é tão difundida quanto equivocada. Puro mito. Desviamos o olhar quando puxamos o fio da memória ou então pensamos cautelosamente no que vamos dizer.

+ Lapsos de memória e contradições são comuns quando dizemos a verdade, principalmente em relatos complexos. Afinal, o cérebro humano não armazena uma história de maneira organizada.

Fonte:super.abril.com.br