terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Fatos sobre as unhas do pé


O BuzzFeed entrou em contato com o Instituto de Saúde Preventiva do Pé (IPFH), nos EUA, e perguntou ao diretor-executivo da organização, Robert Thompson, e ao diretor de pesquisa Rick Mende sobre esse assunto fascinante.

As unhas do pé são basicamente garras humanas.

Alguns mamíferos têm cascos e garras, nós temos unhas do pé. Acredita-se que, quando nossos pés eram usados para além de apenas atividades relacionadas à mobilidade, nossas unhas nos ajudavam a pegar coisas (da mesma forma que nossas unhas da mão ainda fazem hoje).

Alguns pesquisadores acreditam que as unhas dos pés nos ajudam no equilíbrio.

As unhas dos pés nos ajudam na propriocepção, que é um nome complicado para um mecanismo sensorial que nos ajuda a interpretar nossos arredores e manter nosso equilíbrio.

Fungos e bactérias se escondem no espacinho entre as unhas do pé e a pele abaixo delas.

Existem 125 mil glândulas sudoríparas em cada pé, o que significa que, quando colocamos sapatos fechados, estamos basicamente prendendo nossos pés em um lugar muito úmido e quente. Isso o torna um terreno fértil para fungos e bactérias. Além de provocar chulé, isso pode causar infecções.

Outras porcarias – como células mortas de pele, sujeira, detritos e qualquer creme que você utiliza – também acabam lá.

Você pode pensar que suas unhas do pé são super limpas, mas não são

Mesmo que suas unhas pareçam limpas, elas estão microscopicamente imundas quase o tempo todo, segundo Mende e Thompson.

O IPFH recomenda lavar seus pés (incluindo as unhas) ao menos uma vez ao dia em água morna com um sabonete neutro, secando muito bem entre os dedos.

As unhas do pé são feitas do mesmo tecido morto que as da mão, mas são de duas a três vezes mais grossas.

As unhas dos pés são bem grossas devido à fricção e aos fungos.

Já teve aquela incômoda pelinha no dedo? Elas são essencialmente pedaços da cutícula da unha que ressecam e depois se separam da pele

Essas pelinhas aparecem por várias razões: contato com produtos químicos fortes (de agentes de limpeza), deficiências nutricionais e pedicures mal feitas.Cortá-las em seu ponto de conexão com a pele com um alicate provavelmente é a solução mais rápida e fácil, mas é importante não machucar a pele e arriscar uma possível infecção.

E aí existe a maldição da unha encravada.

Por que dói tanto? Quando uma unha é cortada curta demais ou aparada demais nas laterais, o canto afiado da unha entra na pele. Conforme a unha continua crescendo, ela vai cada vez mais para o fundo, se curvando para baixo e criando uma recessão dolorosa no canto do dedo.
Se deixar sua unha encravada sem tratamento, a pele deformada tenta se proteger com a inflamação. A inflamação pode virar uma infecção, que pode, então, levar a uma dor intensa. Ai.

Você PODE dar um jeito nisso, no entanto.

Thompson e Mende recomendam cortar suas unhas em linha reta, sem curvas nas extremidades. Corrigir as extremidades com uma lixa para diminuir a borda afiada é melhor do que cortá-las com tesoura. Uma outra opção é delicadamente levantar as extremidades da unha e colocar uma pequena bola de algodão embaixo delas para que fiquem retas e evitar que se curvem para baixo.

Onicomicose é a infecção fúngica mais comum. Quanto mais velho você fica, mais alta sua probabilidade de tê-la.

Com a idade, há menos circulação de sangue, mais exposição a fungos e as unhas demoram mais a crescer.

Além disso, os homens são mais propensos a ter infecções fúngicas nas unhas.

Existem outros fatores de risco, é claro. Para citar alguns: uso de sapatos e meias apertados demais, andar descalço em locais úmidos (como piscinas e academias), diabetes e estar com o imunidade fraca.

A razão mais comum para a queda de uma unha é uma infecção fúngica.

Essas infecções são causadas por fungos que se alimentam da queratina encontrada na pele e nas unhas.

A segunda razão mais comum para a queda de uma unha é um ferimento.

Se você machucar seu pé, sua unha pode cair. No processo de cicatrização, é importante que a raiz da unha (a matriz) seja bem cuidada para que não haja infecção, senão ela pode ficar permanentemente danificada.

Quando a unha aparecer, ela vai demorar de 3 a 6 meses para crescer por inteiro.

A unha deve crescer naturalmente, mas, se estiver deformada e dolorida, pode ser necessária a remoção cirúrgica da unha e da raiz.

Existe uma condição chamada Síndrome da Unha Amarela

A causa dela é desconhecida, mas parece existir uma predisposição genética. As pessoas com sistemas linfáticos fracos (como bronquite, sinusite, artrite reumatoide e câncer) têm mais disposição de desenvolver essa síndrome.

Às vezes, as unhas do pé ficam pretas.

Isso acontece quando você se machucou e há sangue embaixo da unha. Já unhas avermelhadas, roxeadas e amarronzadas podem ser resultado de fungos crescendo entre a unha e a pele.
Raramente, a unha também pode ficar preta por conta de um melanoma (câncer de pele).

E, por último, esmalte PODE descolorir sua unha do pé.

Tecnicamente não há problema em cobrir suas unhas com esmalte. Como a unha está “morta”, ela não precisa respirar. No entanto, a unha absorve umidade, então pode absorver alguns dos químicos usados no esmalte. Isso pode fazer com que a unha resseque e fazer com que ela fique manchada (geralmente em tom de amarelo ou azul) se o esmalte ficar por tempo demais. Uma outra forma de prevenir a descoloração é usar uma camada de base nas unhas para selá-las antes de aplicar o esmalte.

Fonte:BuzzFeed