terça-feira, 22 de novembro de 2016

Réus condenados pela morte de comerciante



Foi realizado nessa terça-feira,22,no Fórum Dr. Fábio Augusto,mais um julgamento dentro da pauta que está sendo cumprida pelo Tribunal do Júri da Comarca de Tauá.Dois réus foram submetidos ao julgamento,acusados da morte do comerciante,Carlos Alberto Rodrigues de Loiola,conhecido como Carlinhos,fato ocorrido na Churrascaria Stylus,no dia 17 de fevereiro de 2015.Naquela oportunidade,Carlinhos estava na citada churrascaria,quando dois homens chegaram em uma moto Biz e um deles desceu e efetuou vários disparos,com o comerciante vindo a óbito no local.Em seguida a dupla fugiu do local,sendo depois identificada.O autor dos disparos,Willame Pereira de Sousa,conhecido como Dil,foi preso no dia seguinte por uma equipe da FTA,próximo ao aeroporto de Tauá.Desde a época do crime ele está preso e atualmente cumpre pena na Penitenciária Regional do Cariri,em Juazeiro,já sendo também julgado e condenado pela prática de outro homicidio.Dil foi conduzido por Agentes Penitenciários e participou do julgamento.O segundo acusado,Marcos Antonio Pedrosa Benevides Junior,conhecido como Junior Benevides,na época do crime,se apresentou alguns dias depois na delegacia e ficou preso,sendo posto em liberdade posteriormente e não compareceu ao julgamento.

No seu depoimento,perante a juiza e o corpo de jurados,o acusado,Dil,confessou a autoria do crime,dizendo que agiu em defesa própria,já que tinha sido agredido pela vitima em outras duas oportunidades e estava recebendo ameaças.No depoimento ele mudou uma versão anterior de que a arma utilizada no crime pertencia a Junior e disse que o mesmo não sabia de suas pretensões.

A acusação foi feita pelo representante do Ministério Público,Dr. Aroldo dos Santos,que defendeu a tese da condenação por homicidio qualificado e motivo fútil,sendo Dil acusado da execução e Junior de ser o mentor e da suporte para a prática do crime.A defesa por sua vez defendeu a tese de legitima defesa e pediu a absolvição dos réus.

No final do julgamento o júri popular decidiu pela condenação dos dois réus.Willame Pereira de Sousa foi condenado a 15 anos de prisão,inicialmente em regime fechado.Ele já é condenado pela prática de outro homicidio,segue cumprindo a pena na Penitenciária de Juazeiro.Marcos Antonio Pedrosa Benevides Junior foi condenado a 18 anos de prisão,mas precisa ser localizado para ser comunicado,podendo recorrer em liberdade.

O júri foi presidido pela Drª Giséli Santos Sousa,atuando na acusação Dr.Aroldo e na defesa dos réus o defensor público,Dr.Matheus Silva e os advogados Dr.Renan de Matos e Drª Casteliana Cidrão.Mais um julgamento deverá acontecer na próxima quinta-feira,24,sendo réu Francisco Pedro de Almeida Junior.