segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Rebelião na Penitenciária de Juazeiro durou três horas e não teve fugas


Colchões e panos queimados, tumulto e um detento ferido foi o saldo da rebelião na Penitenciária Industrial e Regional do Cariri (PIRC), que funciona no Sítio Touro em Juazeiro do Norte. O motim durou cerca de três horas entre as 21 horas e 23h30min deste sábado e, ao contrário de informações divulgadas em redes sociais, não houve fugas e nem mortos. O conflito mais intenso se deu entre as vivências 1 e 6 e existiram comentários que a intenção inicial era matar um detento apelidado por “Diabo Loiro”.

Muitos dos internos cobriram os rostos com camisas, gritavam palavras de ordem e exigiam as presenças de representantes dos Direitos Humanos na casa de detenção. O problema maior foi na vivência 6 onde estão 110 internos, sendo a maioria da região Centro Sul do Ceará. Após autorização, adentraram a PIRC militares do COTAR (Comando Tático Rural), RAIO, Ronda do Quarteirão, Policiamento Ostensivo Geral (POG), Força Tática de Apoio (FTA) e Corpo de Bombeiros.                      
Os policiais conseguiram “encurralar” os rebelados numa determinada área da vivência e controlaram a situação com o apoio de agentes penitenciários. Por volta das 23h30min o Coordenador Regional do Sistema Penitenciário no Cariri, Wanderson Pereira, já divulgava um comunicado informando que o “princípio de motim estava controlado”.

Fonte:www.miseria.com.br