quarta-feira, 29 de junho de 2016

Estado do Ceará atinge meta de vacinação contra a febre aftosa


O Estado do Ceará ultrapassou as metas de vacinação contra a Febre Aftosa, imunizando 92% do rebanho, de 2,5 milhões de bovinos, em 143 mil propriedades rurais. A informação foi divulgada nesta quarta-feira, 29, pela Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará, Adagri, Secretaria da Agricultura, Pesca e Aquicultura e Ematerce. De acordo com o presidente da Agência, Augusto Junior, a meta do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e do Estado era de imunizar a 80% do rebanho e 84% das propriedades, e “fomos além desse índice, com ações em 184 municípios do Ceará”, ressaltou.

Para Augusto Junior, esse índice é resultado de um esforço conjunto da Adagri e seus parceiros, como Ematerce, Secretaria da Agricultura, Pesca e Aquicultura, prefeituras, Faec, Fetraece e seus sindicatos, que, por meio dos seus fiscais e agentes estaduais agropecuários foram essenciais para alcançar esse resultado. Augusto ressaltou ainda o nível de conscientização dos produtores rurais “que estão fazendo o dever de casa e contribuindo de forma decisiva para que o status de Livre Aftosa Com Vacinação continue garantindo a competitividades internacional da produção agropecuária do Ceará”.

O presidente da Adagri informou que os produtores que não vacinaram seu rebanho serão identificados pelo sistema da Agência e receberão a visita de um fiscal estadual agropecuário, que fará a autuação e aplicará a multa, corresponde a R$ 17 reais por animal não vacinado. Somente mediante esse pagamento receberão autorização para compra da vacina. “É importante essa ação rigorosa para garantir a abertura das nossas fronteiras e manter a comercialização dos nossos produtos de origem animal com outros estados e países”, justificou.

O diretor de Sanidade Animal da Adagri, José Amorim Sobreira Neto, diz que o bom resultado também faz parte de um conjunto de ações, como uma eficiente vigilância sanitária, a permanente atualização cadastral, e a emissão de Guia de Trânsito Animal, GTA, eletrônica. Mesmo satisfeito com o resultado, Sobreira adiantou que será iniciado um trabalho de pós-campanha, envolvendo todos os Núcleos no trabalho de atualização cadastral, incluindo informações sobre caprinos, suínos e aves. “Hoje 100% dos Núcleos locais da Agência estão informatizados, o que permite uma melhor eficácia na prestação desse serviço”, justificou. Sobreira informa que os dados sobre os núcleos podem ser encontrados no site da Adagri.

O presidente da Ematerce, Antônio Rodrigues Amorim, enfatizou a importância da conscientização do produtor, pois, afirma ele, “mesmo o rebanho sendo de propriedade individual, vacinar é cumprir uma regra do Estado e fortalecer uma politica pública de alimentação saudável”.

O secretário da Agricultura, Pesca e Aquicultura, Osmar Baquit, comemorou o resultado da campanha, agradecendo o empenho de todos os servidores dos órgãos envolvidos. “Eles foram fundamentais para atingirmos as metas e acreditamos que na próxima etapa, em novembro, os resultados serão ainda melhores, até alcançarmos o ideal, que é Zona de Livre Aftosa sem Vacinação, que atualmente apenas um estado brasileiro se encontra”, disse.

O Ceará recebeu o reconhecimento nacional de área livre de febre aftosa pelo Mapa e o reconhecimento internacional pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), em maio de 2014. Esse status permite ao estado negociar carne bovina e derivados com unidades federativas e com outros países.
Assessoria de Comunicação da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará - Adagri