quinta-feira, 2 de junho de 2016

Dicionário Cearense (Cearensês)


Q
QUARTINHA
Jarro de barro para guardar água.
QUARTOTA
Embalagem portátil de aguardente, celular.
QUEBRANTE
Mau olhado. Mau agouro. “Cuidado esta mulher vai botar quebrante no teu filho”.
QUEIMA RAPARIGAL!
Grito de guerra, incentivo p/ as meninas agitarem.
QUEM GUARDA COM FOME O GATO VEM E COME
Máxima popular que demonstra a inutilidade de guardar, mesquinhamente, alguma coisa em prejuízo próprio.
QUEM NÃO PODE COM O POTE NÃO PEGA NA RODILHA
Quem não pode sustentar alguma situação não deve tentar. “Você não deve montar nesse cavalo, pois quem não pode com o pote não pega na rodilha!”.
QUENGA
O mesmo que prostituta porém, com um sentido mais ofensivo. Puta.
QUENGO
Cabeça.
QUENGUEBAL
Grupo de quengas. Usa-se muito para xingamentos a grupos de mulheres. “Queima quenguebal”, como diz a humorista cearense Rossicléa.
QUINTURA
1. Pessoa legal, competente, gente boa. “Este cara é quintura”.
2. Calor, mormaço.

R

RABIÇACA (DAR UMA RABIÇACA)
Virar o rosto violentamente em sinal de desprezo.
RABICHOLA
Rabo, buchanca, bunda. “Aquela menina tem uma baita de um rabichola!”.
RABUGENTA
Pessoa muito ranzinza, impertinente, sempre zangada.
RACHA
Pelada de futebol com utilização de um “campo” improvisado, na praia, nas calçadas etc.
RAPAZ
Forma de tratamento independente de ser homem, mulher, cachorro ou criança.
RATA
Gafe. “Aquele apresentador cometeu uma rata”.
REBOLAR
Jogar, atirar fora, é comum ouvir-se: “rebolar no mato” como sinônimo de jogar no lixo.
Isso, naturalmente, vem da época em que as casas, sobretudo as do interior do estado (cidades do sertão cearense) tinham muito terreno em volta e as pessoas costumavam jogar qualquer coisa imprestável pela janela ou seja literalmente no mato.
REBOLAR NO MATO
Jogar fora, atirar.
REBORREIA
Resto, coisa que não presta.
REIADA
Pisa, tapa, surra, lapada. “O time levou uma reiada…”.
REIMOSO
Que não faz bem, carregado. “Não come isso não que é reimoso”.
RELAR
Variante do verbo ralar (colocamos aqui porque essa forma é mais usada no Ceará).
Tocar de leve em outra pessoa, na maioria das vezes com segundas e sensuais intenções.
As raras moças pudicas de hoje em dia costumam dizer: “Não rele em mim” quando os rapazes chegam muito perto.
REMELA
Secreção ocular.
RENDA
Malha de fios trabalhada à mão que serve para compor peças de roupa ou toalhas de mesa.
RESPEITE!
Expressão de admiração por alguma coisa. “Respeite o carro novo que o meu amigo comprou!”.
REZINA
Alguém que só quer tudo pra si. Sovina, avarento.
(Outros: fominha, avarento, miserável, migalheiro, pica-fumo, muquirana, unha-de-fome, morrinha, seguro, zuraco, pão-duro, tranca, esganado, agarrado, mão-de-vaca, mão-fechada).
ROER A CORDA
Desistir de alguma coisa que havia veementemente prometido. “O cara falou que vinha jogar hoje mas roeu a corda”.
ROLA-BOSTA
1.Pessoa sem nenhuma expressão, insignificante, João ninguém. “Esse sujeito não é nada na vida é um rola-bosta!”.
2. Nome de um inseto que se alimenta de esterco.
ROSCOFE
Relógio de má qualidade. Emprega-se muito nas brincadeiras entre amigos. “Que horas são no teu roscofe?”.

RUMA
Um monte, uma grande quantidade de alguma coisa: “Eu pesquei uma ruma de peixes!”.

Fonte:soudonordeste.com.br/