terça-feira, 1 de março de 2016

FRUSTRADA TENTATIVA DE ASSALTO AO BB DE CAMPOS SALES

O gerente do Banco do Brasil de Campos Sales foi mantido refém junto com a esposa, dois filhos e a empregada doméstica, na manhã desta terça-feira, 1º. A família ficou presa durante algumas horas, enquanto o funcionário foi até a instituição bancária para sacar dinheiro. A Polícia Militar (PM) percebeu a ação, as vítimas foram libertadas e os suspeitos fugiram sem levar nenhuma quantia.

Segundo o sargento Arlindo Santos, da 4ª Cia. do 2º Batalhão de Polícia Militar, o gerente foi obrigado a ir até o banco fazer saques, enquanto a família era mantida refém. “Mas eles perceberam que a PM tinha tomado conhecimento, ligaram pro gerente dizendo que iam abortar a missão”, explicou.

A família então foi abandonada a cerca de 10 km do município, próximo ao município de Campos Sales. Eles estão bem, conforme a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), mas os detalhes sobre veículos utilizados pelos suspeitos não foram informados. A ação teria contado com a participação de cerca de dez homens.

De acordo com a SSPDS, além da PM, o Batalhão de Divisas, que atua na divisa entre Ceará e Pernambuco, está realizando buscas na região. Um helicóptero da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) também foi acionado para dar apoio às buscas.

O caso será investigado pela Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), em Fortaleza. Em 2016, já foram contabilizados quatro ataques a bancos no Estado, segundo levantamento do O POVO Online com base nos dados do Sindicato dos Bancários do Ceará.

"Sapatinho"
O delegado-adjunto da DRF, Eduardo Tomé, explicou que a família foi liberada por volta das 10h30min. "Está todo mundo bem, não houve nenhum furto ou subtração de numéraio e estamos em diligências".

Tomé explicou que a ação desta manhã não configura sequestro, pois não houve pedido de resgate. "É o famoso 'sapatinho', quando o funcionário de um banco ou seus familiares são mantidos reféns. Ou até mesmo isso é simulado para que o funcionário possa retirar quantias de dinheiro", afirma.
Os detalhes da ação não foram divulgados pela DRF por motivos de segurança. "Preferimos não explicar isso para não servir de estímulo a outros crimes do tipo", completa.


Fonte:O Povo