sábado, 27 de fevereiro de 2016

VEM AI MAIS UM AUMENTO DOS PREÇOS DOS COMBUSTIVEIS


A partir de terça-feira, o cearense se deparará com aumento da gasolina entre R$ 0,08 a R$ 0,10, conforme O POVO apurou. O combustível consta entre os itens que o Governo do Estado sancionou aumento do Imposto sobre Circulação Mercadoria de Serviços (ICMS), que vigora em março, passando de 25% para 28%. 
 

Segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o preço médio do litro da gasolina nos postos do Ceará está em R$ 3,906. O valor mínimo está em Sobral (R$ 3,78) e o máximo em Limoeiro do Norte (R$ 4,049). Em Fortaleza, o preço médio está em R$ 3,858, o mínimo R$ 3,83 e o máximo R$ 3,89. Nas distribuidoras, o valor médio do litro está em R$ 3,334, o mínimo em R$ 3,222 (em Sobral) e o máximo em R$ 3,368 (em Limoeiro do Norte).
 

Luiz Antônio Viana, dono de posto da bandeira Ipiranga, sinaliza que o aumento do ICMS da gasolina é repassado ao posto e este ao consumidor. “O aumento depende da decisão de cada posto, mas vai ficar em torno de 2% a 3%, cerca de R$0,08 a R$ 0,10”, diz. 

Desabastecimento
O Estado ainda conta com atrasos no abastecimento dos postos de gasolina, que chegam a ficar sem combustível por até três dias. Viana diz que, no seu caso, o problema deriva da Ipiranga. “Abriram mais postos do que suportam. No Interior é mais sério. Dão mais atenção à Capital”, diz.
 

Viana ainda se queixa de que a Ipiranga aumentou o preço da gasolina antes do aumento do ICMS e, depois de reclamações dos revendedores, voltou atrás. “O Governo aumenta o preço da gasolina, como aumentou 6%, e eles (Ipiranga) já aumentaram 16%. A Ipiranga justifica que são aumentos de custo, mas o mercado não está suportando”. 
 

Ele acrescenta que é dono de posto com a bandeira Petrobras e que, mesmo a gasolina da marca sendo mais cara, afirma que o litro importado da Ipiranga chega a ser entre R$ 0,05 a R$ 0,10 mais caro. Porém, a estratégia da bandeira não é considerada ilegal, pois ela é livre para definir seu preço, contesta fonte ouvida pelo O POVO que não quis se identificar. 
 

Giovani Montezuma tem três postos Ipiranga e diz que atrasos nos abastecimentos foram regularizados e que a marca justifica os aumentos afirmando que são reajustes da Petrobras. 
 

Segundo O POVO apurou, um dos motivo para que haja atrasos é a pequena capacidade de armazenamento de combustível do parque de tancagem do Mucuripe. Há postos do Interior que recebem gasolina vinda dos portos de Natal (RN), Cabedelo (PB) e Suape (PE). Em nota ao O POVO, a Ipiranga afirma que o volume importado pela empresa “é pouco relevante no total comercializado” e nega qualquer ilegalidade no processo.

Fonte:O Povo