sábado, 16 de janeiro de 2016

RESERVATÓRIOS DA REGIÃO RECEBEM PEQUENAS RECARGAS


As chuvas de pré-estação chegaram com intensidade que não se esperava em algumas regiões do Ceará. Há registros acima de 100mm nos últimos dias na região dos Inhamuns; houve recarga, ainda que mínima, em 23 açudes, e quatro saíram da categoria de seco. O nível médio dos 153 reservatórios monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) é de 11,9%, índice é o mais baixo em 20 anos.

As previsões meteorológicas indicam possibilidade de ocorrência de chuvas localizadas em todas as regiões do Estado durante este fim de semana.

A recarga registrada em pequenos reservatórios do Interior do Estado ainda é mínima, mas o suficiente para renovar esperança de que, na quadra chuvosa que se inicia no próximo mês, haverá aumento no volume, deixando para trás a sombra da seca que se estende desde 2012 em todo o Semiárido Brasileiro.

"Para começo de inverno está melhor do que se esperava", disse o agricultor Luís Souza, que, na manhã de ontem, acompanhava a chegada da água no Rio Jaguaribe, na cidade de Saboeiro, onde foram registrados 125mm na quinta-feira passada. "A barragem que estava seca agora está enchendo".

O assessor da Presidência da Cogerh, Gianni Lima, disse que os aportes verificados em vários açudes não foram expressivos em relação às suas capacidades, mas são importantes para abastecimento local. "As recargas registradas contribuíram para estabilizar a queda diária do nível dos reservatórios no Estado, evitando o rebaixamento esperado", explicou. "Essas chuvas que têm relação com a pré-estação são mais imprevisíveis".

A Cogerh, registrou, ontem, aportes em 23 açudes. Quatro deixaram de estar secos: Colina (Quiterianópolis), Flor do Campo (Novo Oriente), Parambu (Parambu) e Trici (Tauá). Outros que receberam recarga são: Angicos (Quixelô), Arneiroz II, Figueiredo (Alto Santo), Orós e Pedras Brancas (Quixadá).

O açude Colina, em Quiterianópolis, desde 2012 que estava seco e recebeu um aporte de 334 mil de m³. O Arneiroz II registrou recarga de 1,5 milhão de m³. O aporte no momento mais favorável, de 1,072 milhão de m³, verificou-se no Flor do Campo, em Novo Oriente, porque havia risco de colapso no abastecimento da cidade.

O Trici, em Tauá, que abastece a cidade e estava seco, recebeu quase um milhão de metros cúbicos. Esse mesmo volume de recarga chegou ontem ao Pedras Brancas e Banabuiú.

Ainda segundo a Cogerh, no momento, nenhum açude tem volume acima de 90%, mas 136 estão com volume inferior a 30%. Os dados mostram que 39 reservatórios estão com volume morto e 40 permanecem secos. Nos últimos sete dias, houve recarga no Orós, Banabuiú, Trici, Lima Campos, Figueiredo, Flor do Campo e Tucunduba.

A Funceme previu chuvas abaixo da média histórica para o trimestre novembro e dezembro (2015) e janeiro (2016). Nos últimos dois meses do ano passado, a pluviometria média ficou 61,6% a menos do esperado para o período. Neste mês de janeiro, até ontem, havia um déficit de 31,9%, mas agora que se chegou à metade do mês em curso.

No próximo dia 20, a Funceme divulga o primeiro prognóstico para a quadra chuvosa (fevereiro a maio). As precipitações nesse período têm relação com a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT). Esta pode ser desviada pelo fenômeno El Niño, que permanece intenso. "O modelo atual sugere um percentual para a ocorrência de uma quadra desfavorável", observou Gianni Lima.

Precipitações
As chuvas continuam banhando as regiões Centro-Sul, Inhamus, Sul (Cariri) e Vale do Jaguaribe. A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) registrou precipitações em 60 municípios, entre as 7h de quinta e às 7h dessa sexta-feira. Para este fim de semana, prevê ocorrência de chuvas isoladas em todas as regiões do Ceará.

As cinco maiores precipitações ocorreram nos seguintes municípios: Iracema (60mm); Quixelô (55mm); Jardim (42mm); Jati (39mm); e Iracema (38mm).


Segundo a Funceme, a nebulosidade sobre o Estado decorre de um sistema meteorológico denominado Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN), que está próximo à região Nordeste e é típico de época de pré-estação chuvosa.

Fonte:Diário do Nordeste