sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

PRESOS ACUSADOS DE PRÁTICA DE CRIMES EM TAUÁ


Uma operação conjunta entre Polícias Militar e Civil de Tauá, resultou em algumas prisões importantes para o desbaratamento de uma série de crimes que foram praticados  nos últimos meses nesta cidade envolvendo pessoas ligadas ao tráfico de Drogas.


O trabalho de inteligência foi realizado nesta quinta-feira, 17, quando no início da tarde a Força Tática efetuou a prisão de dois jovens do município de Boa  Viagem que estavam em Tauá para praticar algumas “paradas”, contratados por Antonio José Vieira de Freitas, vulgo Zé do Bar, 23, morto na noite anterior no Bezerra e Sousa, juntamente com seu amigo, José Quirino da Silva 24, dentro de um automóvel Pálio Branco.

Segundo informações, este veículo havia sido visto nas proximidades de uma residência, na Rua Joaquim Alves, entregando alimentação para alguém, no entanto esta casa era tida como desabitada pela vizinhança, levantando suspeita.

Prisões

Após a morte dos dois amigos, no bairro bezerra e Sousa, foram iniciadas incessantes diligências na cidade, com o objetivo de elucidar o crime e prender os autores, e com isso, a polícia chegou a localizar a referida residência e montou uma campana no local conseguiu prender Antoniel  Xavier Vieira, 19 e o menor de 17 anos A.C.A.S, ambos de Boa Viagem que estavam em Tauá a cerca de 5 dias.

Na ocasião, eles confessaram alguns crimes cometidos em Tauá recentemente,  indicando nomes dos mandantes, motivado pela disputa com o tráfico de drogas envolvendo duas facções da cidade.

Mortes

A polícia apurou que tudo teria começado depois da morte do presidiário Valdecir Verissimo da Silva, vulgo “Valdecir  Lagarto”, assassinado na Rua Chico Tete, no dia 1º de outubro ( quinta-feira), centro de Tauá.  

Com isso, eles confessaram que tinham sido contratados por Zé do Bar para vingar a morte do “Lagartão”, que fazia parte da facção comandada também pelo mesmo.

O primeiro crime aconteceu no dia  03 de outubro (sábado), no bairro Aldeota com frente ao Estilos Clube, quando foi vítima o jovem Jonathas Gomes Rodrigues, 20, morto por vários tiros, sendo baleada também a sua namorada , que saiu lesionada com um tiro na coxa e outro no pé.

No dia seguinte, domingo, 04 de outubro,  a mesma dupla assassinou na Rua João Rufino, próximo ao Cemitério São Judas Tadeu, o outro jovem, Antonio Alberto de Sousa Silva, 20, com 5 tiros, lesionando também outro rapaz de nome Júlio Cesar, que foi transferido para Fortaleza e sobreviveu. As vítimas seriam acusadas pelos seus desafetos de serem o autor da morte do Lagartão e estas mesmas vítimas teriam, segundo relatos, ligação com facção oposta a do contratante.

Contudo, os dois jovens presos nas proximidades do cemitério na tarde desta quinta-feira, disseram para a Polícia que estavam contratados novamente para praticar mais algumas “paradas”, a mando de Zé do Bar”, que foi morto minutos depois de ter mantido  contato com os contratados. A PM não encontrou  armas na residência. 

Os acusados foram conduzidos para a Delegacia Regional de Tauá, onde foram autuados pelos crimes cometidos, pelos quais confessaram.

Em relação ao duplo homicídio ocorrido na noite de quarta-feira, a polícia apurou que teria sido mando por uma facção oposta, porém, ainda em investigação afinco.

De acordo com o soldado Teixeira da FTA, os nomes de outros envolvidos nos casos, delatados pelos acusados, não poderão serem divulgados para não atrapalhar as investigações.

Casal preso com munições

Durante as investigações, a polícia conseguiu prender ainda na mesma noite, mais duas pessoas, sendo  um homem, conhecido como Alison e uma mulher, conhecida como Kelly.

Alison que reside no bairro Cidade Nova, é irmão de Junior Lagarto que cumpre pena no presidio de Tauá e Kelly que reside no bairro Alto Brilhante teria um relacionamento com Junior. Para o polícia, eles seriam fornecedores de armas e munições para o cometimento de crimes. Porém ambos negam qualquer envolvimento com os fatos. No entanto, foram encontrados em poder do casal, munições de armas calibre 12 e 38. O caso está sendo apurado e acompanhado pela 14ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Tauá, que está sendo comandada pelo Delegado de Parambu, Dr. João Pereira.

Atuou no trabalho operacional, os soldados Teixeira,  Nunes, Amarildo e Bruno,  da FTA – CQG – Comando Quartel Geral.

Por Flaviano Oliveira – repórter. 
Fotos:FTA