sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

DEPUTADO TAUAENSE RESPONDE SECRETÁRIO APÓS ACUSAÇÃO


O secretário do Turismo do Ceará, Arialdo Pinho, e o deputado federal Domingos Neto (PMB) trocaram acusações nesta sexta-feira, 18, por meio de seus perfis no Facebook. Em resposta a críticas do secretário nas redes sociais, o deputado classificou o gestor como “irresponsável” e chegou a falar para Arialdo “lavar bem a boca” antes de se referir a ele.


O embate foi motivado por mensagem de Arialdo criticando Domingos Neto por suposto apoio do parlamentar ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), alvo de processo no Conselho de Ética da Casa. “Será que surpresa para alguns?”, questiona.

“A política da região dos Inhamuns no Ceará, tem deputados atuantes no apoio ao Presidente da Câmara Federal Eduardo Cunha. Os deputados federais Domingos Neto e o Genecias Noronha. Que o futuro dos Inhamuns não esqueça disto", disse Arialdo.

Resposta

Domingos Neto negou apoio à Cunha e disse que, inclusive, já lançou nota pedindo afastamento do presidente da Câmara. “Você, de forma absolutamente irresponsável, baseou-se em um factoide de jornal para me atacar”, diz.



"Logo você, insistentemente caracterizado pela imprensa como alguém que age nos bastidores da política de forma similar ou estupidamente pior que o próprio Eduardo Cunha (...) Se você está acostumado a tratar as pessoas como capachos seus, com arrogância, soberba e estupidez, saiba que comigo é diferente”, diz.

Secretário de polêmicas

Não é a primeira vez que Arialdo “compra briga” com outros políticos cearenses pelas redes sociais. Em 2011, o então secretário-chefe da Casa Civil do Estado publicou mensagem no Twitter criticando a ex-prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT). 

“Lulu Discurso Maravilha, culpa Cagece pelos buracos Fortaleza. Engraçado, pela falta de capacidade de fazer algo, transfere responsabilidade”, disse. Em resposta, a ex-prefeita marcou reuniões com o então governador Cid Gomes (PDT) para tratar do assunto e chamou o secretário de “moleque”.


Na época, um sobrevoo para checar as obras da companhia chegou a ser cogitado pelo governador e pela prefeita, na tentativa de um reencontro e reaproximação dos dois, o que não ocorreu.

Redação O POVO Online