segunda-feira, 30 de novembro de 2015

O QUE VOCÊ NUNCA DEVE DIZER PARA AS PESSOAS QUE VOCÊ NÃO VÊ HÁ MUITO TEMPO


Um pouco de etiqueta não faz mal a ninguém, principalmente nas circunstâncias em que você encontra uma pessoa que não vê há anos.
Lembre que nesta ocasião a surpresa será dupla, pois a imagem que vocês tem um do outro remonta ao tempo em que muitas características existiam e que hoje sumiram ou foram substituídas pela triste arte final do envelhecimento...

Eu não tinha te reconhecido...
Ninguém não reconhece uma pessoa porque ela está mais jovem, portanto, explicitar tal fato é deselegante, pois escancara o quanto ela mudou... para pior.

Você está bastante conservada.
Acredite, isto nunca soa como elogio para uma mulher. Estar “conservada” é uma qualidade muito boa para passas e comidas enlatadas e não passa disto.

Nossa, como você envelheceu!
Bem, aí a vaca vai pro brejo, pois degenera da deselegância para a deseducação. Ninguém tem o direito de achincalhar o dia de outrém jogando-lhe na cara o quanto está velho.

Ué, cresceu a testa?
Os homens, que ficaram calvos e já tem um trauma suficientemente grande para contronar, o que menos necessitam é de alguém alardeando o fato em altos brados em público.

Nossa, como você engordou!
Os homens até que toleram a protuberância que eles chamam eufemisticamente de “calo sexual”, mas para as mulheres isto é um crime de lesa majestade. Incrivelmente, esta cena lamentável é frequentemente presenciada nas ruas, onde os “muy amigos” berram o apavorante mantra aos quatro ventos.

Você está grávida?
Quem se queima uma vez proferindo esta pergunta, dificilmente cairá no inferno pela segunda vez. Do outro lado, não há coisa mais embaraçosa para uma mulher gorda do que se defrontar com tamanha indelicadeza.

Nossa, como o seu cabelo está branco!
As mulheres costumam pintar os cabelos para evitar tais embaraços, contudo, os homens que preferem fugir do preto-carvão e do vermelhidão à moda Sílvio Santos, se defrontam amiúde com amigos simplórios que, brincando, ofendem enquanto dão tapinhas nas costas.

Nossa, como você está acabado!
Reserve esta fala acachapante para os seus ex-amigos ou antigos conhecidos em plena decadência em função do álcool e/ou drogas, talvez isto lhes sirva de choque e elemento motivador. Agora, não jogue isto na cara de um antigo parceiro arruinado pelas vicissitudes da vida.

Nossa, como o tempo passou ...!
Típica saída de cretino que se julga elegante, já que ninguém se sente feliz perante insinuações sobre as profundas transformações sofridas.

A salvação da lavoura: Quando você encontra uma pessoa de qualquer sexo e sente aquela coseguinha insuportável para expressar alguma coisa sobre a sua aparência, limite-se a exclamar: nossa, você não mudou nada! Pronto, com esta senha, você estará matando dois coelhos com uma cajadada só; através do elogio universalmente aceito, estará evitando qualquer comentário desairoso sobre a sua própria aparência, mesmo que o interlocutor(a) esteja sinceramente achando-o acabado(a).

Solução definitiva: Não se preocupe com a aparência das pessoas e se concentre no que elas são, pois as virtudes conquistadas independem do avançar dos anos.


Fonte: Blogpaedia