quarta-feira, 9 de setembro de 2015

QUANDO DIZER A VERDADE... OU MENTIR?



Para começo de conversa, jamais minta, pois a mentira tem mesmo pernas curtas e você será pego mais cedo ou mais tarde com as calças na mão. Então, apesar do título insinuar a necessidade de mentir, tal ação pode ser pacificamente substituída pelo omitir. Assim, veremos adiante quando a verdade presta bons serviços e quando a sua potencial capacidade corrosiva deve ser contornada. 

Médico
Jamais minta para o médico ou sacerdote, pois cedo ou tarde eles acabam descobrindo a verdade e a sua saúde física e espiritual é que vai pra vala. 

Gordo(a).
Diga a verdade desde o ponto em que o gordo esteja emagrecendo, a título de um belo incentivo pela iniciativa e persistência, e omita o dedo acusador quando a coisa está rolando ladeira abaixo. 

Chefe.
A regra número de sobrevivência no mundo cão corporativo é não usar e muito menos abusar da sinceridade com os superiores. Portanto, seja homeopático com as críticas e magnânimo nos elogios (mesmo tratamento a ser dado às mulheres), tomando cuidado para não submergir na vala-comum do puxa-saquismo. 

Esposa.
Esposas são como vasos de cristal quebradiços às verdades nuas e cruas. Na maioria das vezes, aplicar nelas uma meia-verdade é muito mais gratificante do que meter a verdade inteira descarnada. Caso não acredite nesta pequena dica de conforto, tente descobrir porque os sinceros inveterados são todos uns solteirões. 

Doente grave.
Tudo depende do efeito que uma verdade bombástica poderá causar: se a resignação e aceitação do destino certo preconizado na única verdade da vida, ou o desespero e terror diante da morte. As civilizações anglo-saxônicas preferem dizer a verdade na lata, enquanto nós latinos preferimos a mentira até à morte. Quem estará mais certo? 

Mulheres.
Aparentemente, as "mentiras sinceras" funcionam melhor com elas do que as verdades degradantes. Contudo, isto não significa mentira na acepção total da palavra, já que os homens podem se dar ao luxo de filtrar internamente os pensamentos ferinos com relação à idade, peso, atributos físicos, roupas, atitudes, etc, e externar coisas que podem até não existir, mas que são perfeitamente imagináveis por uma mente masculina minimamente sagaz. 

Conclusões.
As piores pessoas do mundo são as que sempre dizem a verdade, ou as que mentem o tempo inteiro? Para falar a verdade, ambos os extremos são igualmente maléficos, pois enquanto as primeiras acabam queimando todas as relações sociais, as segundas correm os laços afetivos, o que determina o isolamento ao final.


Fonte:Acidez Mental